Curva ABC e gestão de estoque

Você já ouviu falar no gráfico da curva ABC para gestão de estoque, mas não conhece o seu potencial? Neste artigo, vamos conhecer a funcionalidade do gráfico e o seu poder na tomada de decisão.

Sabemos que grande quantidade de estoque pode fazer com que o seu dinheiro fique parado, já poucos produtos em estoque podem acarretar em perda de vendas, gerando menos receita, além de possibilitar a entrada de concorrentes. Uma maneira de evitar isso, é a utilização do conceito de curva ABC para gestão do estoque de produtos acabados e matéria prima.

O que determina a classificação de A, B e C, é a identificação dos fatores na gestão dos produtos como:

  • Produto com alto valor e pouca procura: lucratividade

  • Produto com baixo ou médio valor e muita procura: produtividade.

  • Produto com valor intermediário, mas sua procura é baixa e dependente de períodos comemorativos, natal, páscoa, verão, inverno, etc. Nestes casos a procura se dá, por disponibilidade.

Os itens considerados Classe A merecem um tratamento preferencial. Equivalem a 20% de seus produtos com um faturamento de 80%. Estes tipos de produtos são os mais importantes para atingir os resultados de seu negócio, por isso, devem ter maior acompanhamento em todos os sentidos. São fundamentais para compor sua receita e precisam ser geridos com atenção e acompanhamento frequente.

Os itens considerados Classe B correspondem a uma quantidade intermediária de vendas, juntos, eles podem responder por 15% do faturamento, eles possuem uma importância média para sua loja, o que significa que precisam ter um acompanhamento regular. Eles também ajudam a formar parte de seu faturamento, mas não são os principais, por isso, uma atenção mediana na maior parte do tempo pode ser o suficiente.

Já os itens considerados Classe C correspondem a uma quantidade menor de vendas, podem responder por 5% do faturamento.

São itens que menos contribuem para seus resultados, portanto, são os que exigem menor frequência de atenção, mas ele não podem ser deixados de lado ou simplesmente retirados de sua estratégia comercial, muitas vezes os itens de Curva C são complementares a venda de outros produtos, aumentando a estabilidade do negócio bem como ticket médio.

Onde podemos aplicar a curva ABC, além do giro de estoque?

Podemos utilizar a curva ABC em muitas situações no mundo do varejo, algumas delas são:

Análise de clientes – É extremamente importante entender o perfil do seu cliente, dessa forma você poderá classificar a rotação de produtos no seu estoque, priorizando e entendendo quais são os produtos da Classe A, fazendo alterações conforme as métricas elaboradas.

Proporção sobre o faturamento no período – Após entender a rotatividade, você pode aplicar o mesmo conceito sobre o fluxo do seu caixa, pois vale lembrar que poucos produtos irão compor a maior parte das movimentações. Com os dados em mãos, você pode montar diversas estratégias para aquisição de novas matérias, desde logística e fretes até promoções e queimas de estoque.

Margem de lucro obtida – É importante entender o ciclo produtivo e qual o impacto dele sobre sua receita, em seguida, podemos tratar análises de riscos, para isso uma ferramenta importante é a margem de lucro, afinal vamos poder considerar o investimento e seus possíveis riscos nos produtos por conta de sua validade, custo de armazenamento ou mesmo pela mercadoria ser sazonal. Quanto melhor elaborada a Curva ABC, menor é o risco de perca e maior efetividade financeira.

Em resumo, a Curva ABC é uma importante ferramente de gestão de recursos para qualquer empresa que faça gerenciamento e controle de estoque, especialmente no varejo, onde temos que levar em conta se o produto é volátil, custo de armazenamento, entre outros riscos. A definição das classes vai lhe proporcionar entender um pouco sobre o que lhe dá forças e fraquezas.

Luis Fernando

Consultor de Negócios
27/07/2020

plugins premium WordPress